sábado, 30 de agosto de 2008

FOI PELA GRAÇA




“Porque Deus derramou seu amor em nossos corações, por meio do Espírito Santo que ele nos concedeu” – Romanos 5:5





Todo cristão entende a morte, a ressurreição e a assunção de Jesus. Esses aspectos revelam 3 coisas importantes para a minha – na realidade são presentes que recebemos pela graça de Deus.


1 – Através da morte de Jesus na cruz, eu recebi perdão de todos os meus pecados;


2 – Porque Ele ressuscitou dentre os mortos, eu recebi nova vida, e,


3 – Porque Ele assentou-se à direita do Pai, eu recebi o dom do Espírito Santo.

Ele fez todas essas coisas por mim. Ainda que eu não merecesse, meus pecados foram perdoados quando Ele foi crucificado; ainda que eu não merecesse, fui regenerado através da Sua ressurreição, e, ainda que eu não tivesse mérito algum, fui revestido pelo Espírito Santo pelo Sua exaltação à direita do Pai.

Longe de ser apenas um mártir, Jesus de Nazaré que foi morto sem ter cometido nenhum delito, foi EXALTADO e hoje está à direita do Pai, coroado, vestido de majestade e honra.

O Espírito Santo de Deus, o Consolador que foi enviado, é quem nos dá a evidência de que o Filho de Deus está na Glória, e esse mesmo Espírito é dotado de uma grande dose do amor de Deus, a ponto de transbordar e ser derramado em nossos corações.
Ainda que o mundo não me dê muito valor, como cristão, eu sou privilegiado: estou perdoado; sou regenerado e revestido pelo Espírito de Deus!
Aleluia!

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

UM ALTO PREÇO


Certa vez um menino avistou um lindo barquino de madeira na vitrine de uma loja.


Seu pai não tinha dinheiro para comprá-lo, pois custava muito muito caro.


Como seu pai era carpinteiro, deu-lhe ferramentas, madeira, tintas, etc, para que o menino construísse seu próprio barquinho.


Mãos à obra !


Dias se passaram e o barquinho estava pronto.

Um belo dia o menino muito feliz com seu novo e lindo barquinho, foi brincar com ele na praia.


Então veio uma forte onda e levou o barquinho para bem longe! Pobre menino! Ficou tão triste, porque tinha perdido o que mais precioso lhe pertencia: o barquinho feito por suas próprias mãos.

Algm tempo depois, ele encontrou o seu barquinho na vitrine de uma lojinha pertinho de sua casa.


Foi até lá pegar o seu barquinho, porém o dono da loja disse que havia achado o barquinho e só lhe devolveria se lhe pagasse o preço justo para tê-lo de volta.


O pai, comovido coma tristeza do menino, deu-lhe o dinheiro a ele para resgatar o objeto tão valioso.


O menino foi correndo até a loja e comprou que ele mesmo havia construído.


Quando chegoou em casa, feliz e satisfeito ele olhou para o seu barquinho e disse:

É, meu barquinho! Eu te fiz e te perdi, te achei e te comprei por um preço justo. Agora você é meu novamente.

Assim fez foi Deu: Ele nos criou e nos perdeu para o pecado e nos comprou através do sangue de Jesus.


Pagou um alto preço por nós.


Faça valer este sacrifício.

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

GPS CELESTIAL


Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apoie em seu próprio entendimento. Provérbios 3:5

Já me perdi muitas vezes dirigindo um carro. Não sou a única, pois a maioria dos motoristas também se perde muitas vezes.

A sensação de não saber onde estamos e para onde ir não é nada agradável. Especialistas dizem que quando nos perdermos desperdiçamos nosso tempo, energia e recursos e muitas vezes nos expomos ao perigo.

O conselho que nos dão é simples: antes de sair de casa devemos conferir se temos um mapa ou as direções corretas.


Melhor ainda seria ter no carro um GPS, um pequeno aparelho conectado aos satélites que indica exatamente onde você está.

Vamos refletir sobre a nossa jornada espiritual: seu ponto de partida e seu destino, suas curvas acentuadas e atrasos, seus desafios e bênçãos.

A primeira sugestão para iniciar uma jornada de fé bem sucedida é esta: “Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apoie em seu próprio entendimento.”


A Bíblia com freqüência chama o Senhor de nosso Pastor. Poderíamos hoje dizer que Ele é o nosso GPS.

Se confiarmos nesse GPS, nunca nos perderemos!

Há métodos alternativos e mapas, os mais estranhos, para nos guiar na jornada da vida.

Não confie em nenhum deles, nem na sua própria intuição.


CONFIE O SENHOR E SIGA SOMENTE ELE.

terça-feira, 26 de agosto de 2008

O VASO RACHADO


VOCÊ É ESPECIAL!


O Pai te ama como você é! E, ainda que você se ache incapacitado para qualquer trabalho em sua seara, Ele te mostra o quanto você lhe é útil!


Leia com atenção:


Um carregador de água levava dois potes grandes, pendurados em cada ponta de uma vara, sobre os ombros.


Um dos potes tinha uma rachadura, enquanto o outro era perfeito e sempre chegava cheio de água no fim da longa jornada entre o poço e a casa do Mestre; o pote rachado chegava sempre pela metade.


Assim foi durante dois anos. Diariamente, o carregador entregava um pote e meio de água na casa de seu Mestre.


O pote perfeito estava orgulhoso de suas realizações. Porém, o pote rachado estava envergonhado de sua imperfeição, e sentia-se miserável por ser capaz de realizar apenas a metade do trabalho que deveria fazer.


Um dia decidiu e falou para o homem, à beira do poço:"Estou envergonhado, e quero pedir-te desculpas."


"Por quê?" Perguntou o homem. - "De que estás envergonhado?"


"Nesses dois anos eu fui capaz de entregar apenas a metade da minha carga, porque essa rachadura no meu lado faz com que a água vaze por todo o caminho até a casa de teu senhor. Por causa do meu defeito, tens que fazer todo esse trabalho, e não ganhas o salário completo dos teus esforços."


O homem ficou triste pelo sentimento do velho pote, e disse-lhe amorosamente:"Quando retornarmos para a casa de meu senhor, quero que admires as flores ao longo do caminho."


De fato, à medida que eles subiam a montanha, o velho pote rachado notou flores selvagens ao longo de todo o caminho, e isto alegrou-o.


Mas, ao fim da estrada, o pote ainda se sentia mal porque tinha vazado a metade, e de novo pediu desculpas ao homem por sua falha.


Disse o homem ao pote:"Notaste que pelo caminho só havia flores no teu lado? Eu, ao conhecer teu defeito, transformei-o em vantagem. Lancei sementes de flores no teu lado do caminho, e cada dia, enquanto voltamos do poço, tu as regas. Por dois anos eu pude colher flores para ornamentar a mesa de meu senhor. Se não fosses do jeito que és, meu Mestre não teria essa beleza em sua casa."


Cada um de nós temos nossos próprios e únicos defeitos. Todos nós somos potes rachados.


Se permitirmos, o Senhor vai usar estes nossos defeitos para embelezar a mesa de Seu Pai.


Na grandiosa economia de Deus, nada se perde.Nunca deveríamos ter medo dos nossos defeitos; se o reconhecermos, eles poderão proporcionar beleza.


O Pai pode (e quer) tirar forças de nossas fraquesas.

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

AS PEDRAS FUNDAMENTAIS


"Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça; as demais coisas vos serão acrescentadas." - Mateus 6:33





Esse texto nos ensina que devemos estabelecer as prioridades, se quisermos ter uma vida próspera e organizada.




Com clareza, o Pai nos ordena a buscarmos o Reino de Deus e a Sua justiça. A consequência? TODAS as demais coisas nos serão acrescentadas.




As outras coisas, virão como bonus para desfrutarmos e termos uma vida abundante, aquela que fala João 10:10.




O problemas é que não sabemos o que colocar primeiro!




Buscar o Reino de Deus é muito mais do que frequentar uma igreja, do que cantar bons cânticos de adoração, do que ofertar, dizimar, dar esmolas, ler os Salmos, etc.




Buscar o Reino de Deus é ter uma vida cristã prática; é amar a Deus verdadeiramente sobre todas as coisas.




Amar a Deus sobre todas as coisas é não ser negligente com as outras coisas,




Não ser negligente com as outras coisas, é entender que o mandamento continua: amar ao próximo como a nós mesmos.


Quem é o meu próximo?




Descobrindo quem é o meu próximo, posso estabelecer as prioridades na minha vida.




Veja esta ilustração:




Um consultor, especialista em "Gestão de Tempo", quis surpreender a platéia durante uma conferência.


Tirou debaixo da mesa um frasco grande, de boca larga. Colocou-o sobre a mesa, ao lado de uma pilha de pedras do tamanho de um punho, e perguntou:"Quantas pedras vocês acham que cabem neste frasco?"




Após algumas conjecturas dos presentes, o consultor começou a colocar as pedras, até encher o frasco.




Perguntou:"Está cheio?"




Todos olharam para o frasco e disseram que sim.




Em seguida, ele tirou um saco com pedrinhas bem pequenas debaixo da mesa. Colocou parte das pedrinhas dentro do frasco e agitou. As pedrinhas penetraram pelos espaços encontrados entre as pedras grandes. O consultor sorriu, com ironia, e repetiu: "Está cheio?"




Dessa vez, os ouvintes duvidaram: "talvez não...".




"Muito bem!" - exclamou o consultor, pousando sobre a mesa um saco com areia, que começou a despejar no frasco. A areia filtrava-se entre os pequenos buracos deixados pelas pedras e pelas pedrinhas.




"Está cheio?" - perguntou de novo. "Não!" - exclamaram os ouvintes.




Pegou, então, um jarro e começou a jogar água dentro do frasco, que absorvia a água, sem transbordar.




Deu por encerrada a experiência e perguntou:"Bom, o que acabamos de demonstrar?"



Um participante respondeu: "Que não importa o quão cheia esteja a nossa agenda; se quisermos, sempre conseguiremos fazer com que caibam outros compromissos."


"NÃO!" - concluiu o especialista - " O que esta lição nos ensina é que, se não colocarmos as PEDRAS GRANDES primeiro, nunca seremos capazes de coloca-las depois.


E quais são as GRANDES PEDRAS nas nossas vidas?






Descobrindo as pedras grandes, o resto é resto, e encontrará o seu lugar"




PARA REFLETIR:






Que lugar tem ocupado em sua vida o Pai, a pessoa amada, seus filhos, sua saúde, seus sonhos???




Essas são as pedras grandes!




As pedras grandes são as coisas importantes de sua vida: seu relacionamento com Deus, sua família, seus amigos, seu crescimento pessoal e profissional. Se você preencher sua vida somente com coisas pequenas, como demonstrado com os pedregulhos, com a areia e a água, as coisas realmente importantes nunca terão tempo, nem espaço em suas vidas.




domingo, 24 de agosto de 2008

SEU TRABALHO PODE SER UM LUGAR DE ADORAÇÃO


Uma palavra de Jesus para trabalhadores frustrados pode ser encontrada na Palavra.


Pedro, André, Tiago e João viviam de pescar e vender os peixes pescados. Como outros pescadores, trabalharam a noite toda, e agora lavavam as redes na superfície. Como os outros pescadores, eles sabiam como era passar uma noite inteira trabalhando sem pegar nenhum peixe.

Enquanto Jesus pregava, eles lavavam suas redes. E, enquanto a multidão cresce, jesus tem uma idéia.

Ele viu 2 barcos ancorados junto à praia. Ele entrou no barco que pertencia a Pedro e pediu que ele se afastasse um pouco.


Sentando-se ali, Jesus usou o barco como púlpito: "...e viu dois barcos junto à praia do lago, mas os pescadores, havendo desembarcado, lavavam suas redes. Entrando em um dos barcos que era de Simão, pediu-lhe que o afastasse um pouco da praia; e, assentando-se, ensinava do barco as multidões"- Lucas 5:2-3

Jesus reivindica o barco de Pedro. Ele não pede para usá-lo. Ele não pede permissão, simplesmente entra no barco e começa a pregar.

Você sabe que Ele pode fazer isso. Por que? Porque todos os barcos pertencem a Jesus Cristo.

Seu barco é onde você investe o seu dia, trabalhando, morando...onde você aplica maior parte de sua vida. O carro que você dirige; a casa que você limpa; seu consultório dentário; o comércio em que você trabalha; a indústria que você dirige; a família que você sustenta – este é o seu barco. Jesus bate em nosso ombro e nos lembra:


"O carro que você dirige é meu".

"O escritório que você trabalha é Meu".

"A sala de aula onde você leciona, é minha".

"A repartição pública onde você trabalha, é minha".

"O local em que você trabalha é meu".

A todos nós Jesus diz: O SEU TRABALHO É O MEU TRABALHO.


Nossas segundas feiras importam tanto a Ele como os nossos domingos. Não há divisão ou diferença entre o secular e o sagrado. Alguém colocou a seguinte inscrição da cozinha: DIARIAMENTE AQUI SÃO EXECUTADAS TAREFAS DIVINAS.

Um executivo colocou a seguinte placa em seu escritório: MINHA MESA É O MEU ALTAR.

Ambos estão corretos. Com Deus, nosso trabalho é tão importante quanto a nossa adoração. Na minhaverdade, nosso trabalho pode ser adoração.

Pedro, o proprietário do barco, mais tarde escreveu: "Vocês são povo escolhido. Vocês são sacerdotes reais. Nação santa, propriedade exclusive de Deus, para proclamarem as virtudes daquele que chamou a vocês das trevas para a sua maravilhosa luz" – 1 Pedro 2:9


Um pregador representa Deus, e você, meu amigo, representa Deus. Então, tudo o que você fizer – palavras, ações – faça em nome do Mestre, Jesus – Colossenses 3:17.

Você não dirige um escritório; você dirige um santuário. Você não leciona simplesmente em uma sala de aula; você leciona em um templo.

Lembre-se: SEU BARCO É O PÚLPITO DE DEUS. SEU TRABALHO PODE SER A SUA ADORAÇÃO.

By Max Lucado

sábado, 23 de agosto de 2008

NÃO SEJA IMPORTANTE DEMAIS PARA FAZER ALGO PEQUENO


“Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu...” – 1 Pedro 4:10


O mundo precisa de servos. Pessoas como Jesus, que não veio para ser servido, mas para servir.


Ele preferiu a distante Nazaré à famosa Jerusalém; a carpintaria de seu pai a um palácio de colunas de mármore; três décadas de anonimato a uma vida de popularidade.

Jesus veio para servir. Ele preferiu a oração ao sono; o deserto ao Jordão; apóstolos irascíveis a anjos obedientes.


Eu teria preferido os anjos. Se pudesse escolher, teria formado o meu time de apóstolos com querubins e serafins, ou Gabriel e Miguel. Com certeza, teria escolhido os anjos.

Mas Jesus, não. Ele escolheu as pessoas. Pedro, André, João e Mateus.


Quando eles tiveram medo da tempestade, Jesus a acalmou.


Quando não tinham dinheiro para os impostos, o Mestre providenciou.


E quando não tinham vinho para o casamento ou comida para a multidão, Cristo produziu as duas coisas.

Ele veio para servir.

Jesus deixou que uma mulher samaritana interrompesse o seu descanso; que uma mulher adúltera interrompesse o seu sermão; que uma mulher doente interrompesse os seus planos, e, que uma mulher pesarosa interrompesse a sua refeição.

Embora nenhum dos apóstolos lavasse seus pés, Ele lavou os deles.


Embora nenhum dos soldados junto à cruz implorasse por misericórdia, Ele a concedeu.


E, embora seus seguidores fugissem como coelhos amedrontados na quinta-feira, Ele veio procurá-los no domingo de Páscoa.


O rei ressuscitado só subiu aos céus após passar quarenta dias com seus amigos – ensinando-os, incentivando-os, servindo-os.

Por que? Porque foi isto que Ele veio fazer. Veio para servir.

Max Lucado

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

DEUS É!


É necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe – ELE É – e que se torna galardoador dos que O buscam – Hebreus 11:6

DEUS É!

Três são os fatos sobre Deus que constituem a base de uma verdadeira fé:


1 – ELE É CAPAZ – Mateus 9:28: “Entrando ele em casa, os cegos se aproximaram, e ele lhes perguntou: Vocês crêem que eu sou capaz de fazer isso? Eles responderam: Sim, Senhor”.


2 – ELE QUER - ESTÁ DESEJOSO – Mateus 8:2-3: “Um leproso, aproximando-se, adorou-o de joelhos e disse: Senhor, se quiseres, podes purificar-me. Jesus estendeu a sua mão, tocou nele e disse: Quero. Seja purificado.


3 – ELE É, ou seja, ELE EXISTE – Hebreus 11:6: É necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe – ELE É – e que se torna galardoador dos que O buscam – hebreus 11:6


Preste atenção: Não estou dizendo que há uma vaga crença de que há um Deus. A fé revela-me um Deus que é: VIVO, PRESENTE E ESTÁ EM ATIVIDADE!.

Muitas pessoas crêem que Deus pode e que Ele deseja fazer. Mas, não iremos a lugar nenhum se não estivermos convencidos de que ELE É. Caso contrário, nos conformaremos com Seu poder e

Sua compaixão e ficaremos incentivados a esperar.

Porém, a fé tem que estar em atividade agora. A Bíblia declara em Hebreus 11:1: A fé É. Ela não foi no passado, nem será no futuro. Ela é agora.

Não declare ter fé até que possa dizer:

“Eu sou o que a Bíblia diz que eu sou...

Eu posso o que a Bíblia diz que eu posso...

Eu tenho o que a Bíblia diz que eu tenho...

PORQUE DEUS É!

REFLITA:
Deus é capaz de realizar todas as coisas. Ele quer realizar todas as coisas, porque Ele é vivo, presente e ativo.

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Veja o vinho atrás do cacho de uvas


“Assim diz o Senhor: Como quando se acha vinho num cacho de uvas, dizem: Não o desperdices, pois há bênção nele, assim farei...” - Isaías 65:8

Há coisas nessa vida que parecem não ter valor até que alguém as olhe além da aparência e resolva investir nelas.

Não poucas vezes encontramos verdadeiras pérolas jogadas no lixo, simplesmente porque estão sujas, arranhadas ou pouco polidas.

Jóias depreciadas, riqueza descartada!

O que faz um homem abrir mão de algo de valor? Com certeza, a falta de consciência desse valor!

E porque nos falta essa consciência? Provavelmente, porque aquilo que é precioso está obscurecido, parece feio e estragado, o que não lhe tira o valor.

Seria uma loucura jogar fora uma nota de 100 reais só porque está suja, mal cheirosa ou amassada. Sim, porque apesar de feia por fora, faz o mesmo efeito na conta bancária. Mas na vida muitas vezes descartamos o que não nos impressiona pela aparência, principalmente pessoas.

Quantos casamentos têm sido jogados fora, apesar dos anos vividos juntos, de tantas conquistas, da riqueza de filhos e do amor prometido. Alianças de ouro sucumbidas diante da separação e destruídas pelo divórcio. Notas de 100 rasgadas!

Quantos pais já não desistiram dos seus filhos só porque estão amassados pelas feridas da alma, pelas más companhias ou pelos vícios; enquanto tudo que precisam é do investimento de alguém que os cure com amor, encorajamento, perdão e limites. E quantos filhos não desprezam seus pais e viram as costas para seus cuidados e conselhos, porque são “rígidos” demais ou ultrapassados.

São pérolas pisadas por corações insanos.

O quadro fica mais triste quando adentramos à igreja e presenciamos o mesmo desatino.

Fica ainda pior quando essa loucura de menosprezar o valoroso é praticado por mim e por você, pessoas que querem tanto acertar e agradar a Deus.

Mas, se queremos mesmo fazer a vontade do Pai, precisamos ter o Seu coração quando chega à igreja aquele sujeito “tranqueira”, que tem a boca suja e um olhar cheio de malícia;
precisamos agir como o Senhor, quando aqueles discípulos estão emaranhados nas dívidas e ainda escorregam nos dízimos, ou quando não correspondem de imediato e estão desmotivados e cansados.

Precisamos ter a visão do alto, enxergar além das aparências e do momento para não desistirmos de ninguém e continuarmos a investir em vidas que têm alto valor e custaram para o Pai o sangue de seu único filho.

E como é o coração de Deus? Como Ele age? Ele diz que faria com seu povo o mesmo que um viticultor faz quando vê um cacho de uvas, e apesar das estragadas e das verdes, consegue enxergar o vinho que as uvas boas e doces darão.

Então diz: não o desperdice, não o jogue fora, tenta aproveitar tudo, espera o tempo certo, passe por todas as etapas, esprema ao máximo as uvas... Porque há vinho, precioso vinho!

Parábola do filho pródigo


Texto base: Lc. 15.11-32

O texto fala sobre um jovem que queria mais do que o pai lhe havia dado.


Querer mais não é pecado, mas ele não estava disposto a esperar o tempo certo. Pediu a herança antes que o pai morresse.


1- O pecado do filho pródigo: afastar-se do pai, indo em busca dos prazeres mundanos. Tradução de pecado do grego: perder a marca.
- quebra de relacionamento
- falta de submissão
- falta de compromisso, etc...


2- A conseqüência do pecado: miséria, fracasso, solidão. O prazer deu lugar ao sofrimento. Um filho junto aos porcos. É a condição do pecador longe de Deus.


3- O arrependimento: “Caindo em si” (v. 17-19). Arrependimento significa reconhecimento do pecado, mudança de pensamento e opinião em relação ao pecado. Aquilo que parecia bom é reconhecido como maligno. Arrependimento implica em sentimento (tristeza pelo pecado) e decisão de mudar: “Levantar-me-ei e irei ter com meu pai”.


4- A conversão: “Levantou-se, pois, e foi” (v. 20). É a ação correspondente ao arrependimento.O pai viu o vinho atrás do cacho de uvas.

Foi isso que Deus fez quando viu um povo escravo no Egito, sem liderança e sem referencial, sem riquezas e sem lei. Ele o viu, o amou e desejou beber do seu vinho, então investiu pesado e através desse povo o Seu nome foi conhecido em todas as nações da Terra e o Messias pôde vir.


Também pôde beber do vinho excelente da vida de um jovem desprezado pela sua família, que não lhe dava valor algum. Deus o viu atrás das malhadas e o separou, fez dele o maior rei de Israel e o homem segundo o seu coração.

O próprio Davi levantou o seu exército (que nunca perdeu uma só guerra), porque teve visão de vinho em cachos de uvas. E que cachos de uvas! Parecia que não se poderia aproveitar quase nada daqueles homens problemáticos, em aperto, amargurados de espírito e endividados (I Sm 22:2). Mas Davi não os desperdiçou. Com certeza lhe custou um alto investimento para transformar essas “escórias” no seu batalhão de elite. Mas, valeu a pena. Que vinho saboroso depois de anos!

Jesus, a mais preciosa uva espremida para nos dar o vinho da salvação, viu naqueles medíocres pescadores da Galiléia homens inegociáveis, colunas da sua igreja que levariam o evangelho a todo o mundo e morreriam por ele. Isso é demais! É investir hoje para colher amanhã ou daqui a 2000 anos. É não desperdiçar ninguém ainda que pareça irrecuperável. E hoje Ele vê o fruto, o vinho do seu penoso trabalho e fica satisfeito (Is 53: 11).

Essa visão profética de fé que nos permite enxergar as pessoas e circunstâncias amanhã, muito melhores do que são hoje, é a mola propulsora que nos leva a investir tudo que temos para não abandonar no meio do caminho nada que Deus nos deu. O investimento que precisa ser feito para que esse cacho de uva que está em nossas mãos hoje se transforme num delicioso vinho amanhã, alegrando a nossa alma, não pode ter preço. Precisamos aprender a dar a vida pelo vinho que queremos beber. Dedicar tempo, fé, oração, ensinamentos, dinheiro, paciência, perdão e tudo mais que for preciso.

É óbvio que nem todo mundo quer receber esse investimento. Foi assim com o povo de Israel, e também com os discípulos. Judas por exemplo, foi a uva que se perdeu. Não por falta de amor e doação do Mestre, mas pela dureza do seu próprio coração. Porém, no que depender de nós, não podemos jamais jogar nossas jóias ralo abaixo.

Deus tem muito vinho para nós e uma terra que mana leite e mel, ainda que à frente do leite e do mel, tenham gigantes, cidades fortificadas, e muitos inimigos. Você não pode desprezar a terra por causa dos desafios como muitos fizeram -“Também desprezaram a terra aprazível, e não deram crédito à sua palavra” (Sl 106:24).


Para os “Josués” e “Calebes” que crêem nas promessas, todos eles não passam de pão para devorar. Não despreze a terra da sua herança hoje, ela ainda lhe dará muito vinho!

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

PROCURA-SE UMA IGREJA


Procura-se uma igreja que use a Bíblia Sagrada do jeito que era usada no passado não muito distante.


Que use a Bíblia como revelação de Deus. Aliás, uma boa Bíblia tradicional e fiel, e não as publicações "à la carte" (bíblia para idosos, para jovens, para empresários, etc.).


Não importa que tenha capa preta e letras de tipos antigos.


Não importa que uma ou outra palavra precise ser consultada no dicionário. Afinal, a Bíblia deve servir também para aprimorar os conhecimentos de seus leitores.


Que use a Bíblia acreditando nela. Confiando em seus escritos, linha por linha, letra por letra.


Que creia em sua inerrância e em sua total confiabilidade.


Que a use no púlpito, não por pretexto para eventos sociais, políticos ou comerciais, mas como Palavra de Deus, revelação divina para todos os povos.


Procura-se uma igreja que tenha púlpito. Sim, porque o tablado das igrejas tem abrigado toda sorte de coisas, menos um púlpito. Lá encontram-se baterias, guitarras, pandeiros, atabaques, porta-microfones, câmeras, luzes, castiçais de Israel, óleos de Jerusalém, cartazes comerciais, "links" ao vivo para a tv e internet, mas dificilmente se encontra um púlpito.


Para aqueles que não estão familiarizados, púlpito é aquele móvel que os pastores antigamente usavam para colocar as suas Bíblias e pregar a Palavra de Deus.


Usualmente era colocado no centro da plataforma, numa disposição que alcançasse a todos os presentes, ou mesmo em um dos lados, no alto. O lugar era mais ou menos aquele onde estão os "levitas" ou os animadores do "auditório gospel".


Encontram-se muitos desses móveis antigos nos "museus eclesiásticos".


Procura-se uma igreja com templo. Não precisa ser um grande templo, nem um pequenino templo. Não precisa ter torre, relógio e cruz, nem tampouco ter um órgão de tubo e um vestíbulo.


Apenas um templo, um lugar reservado para adoração a Deus, um lugar onde as pessoas se consagrem para a oração, a meditação, o respeito e a dedicação a Deus.


Geralmente encontram-se ex-templos onde hoje estão casas lotéricas, açougues, mercados ou agências bancárias, porque as igrejas que os usavam acabaram por alugar grandes auditórios, cinemas, fábricas, pizzarias ou ginásios esportivos. O templo tornou-se tão obsoleto quanto a adoração tradicional bíblica.


O templo não era adequado para a atual "aeróbica cristã", que faz com que os participantes suem tanto quanto uma boa aula de ginástica.


Procura-se uma igreja que tenha um templo, seja de tijolos, de barro ou de bambus, mas que seja "Casa de Oração", lugar de adoração, de reverência, de alegria espiritual, de encontro com Deus.


Se for grande, muito bom.


Se for pequeno, bom também.


Se tiver ar condicionado, ótimo.


Caso contrário, não haverá problema, desde que o povo tenha consciência de que "a minha casa será chamada CASA DE ORAÇÃO". (citação das palavras de Jesus em Mateus 21.13).


Procura-se uma igreja que cante hinos. Uma igreja que ainda ouse usar um "Cantor Cristão", um ""Hinário para o Culto Cristão", um "Hinário Evangélico," uma "Harpa Cristã", um "Melodias de Vitória", um "Salmos e Hinos" ou outro hinário que contenha as preciosidades da hinódia evangélica.


Uma igreja que ouse cantar coisas que vão de encontro à música chamada "do momento", e ao encontro do coração de Deus, em adoração firmada em verdades da Palavra do Senhor, e não em palhas e restolhos de emoção fútil.


Uma igreja que ainda use os hinos publicados em forma de livrinho, não apenas um retroprojetor com transparências, que priva as pessoas de levarem a letra para casa e estudá-la, decorá-la, entoá-la em sua devocional particular.


Uma igreja que cante "Rocha Eterna", "Fala, Deus", "Bendita a Hora de Oração", "Vamos à Igreja", "Já Refulge a Glória Eterna", "A Doce Voz do Senhor", "Tu és Fiel", "O Rei Está Voltando", "Grande é Jeová", etc.


Uma igreja que não tenha um "hit parade", ou um índice das "10 mais de hoje", mas cante coisas de ontem, de hoje e de sempre, concretas, profundas e permanentes.


Procura-se uma igreja de gente renascida. Não reencarnada, pois reencarnação não existe (cf Hebreus 9.27). Mas uma igreja de gente que foi regenerada pelo novo nascimento, através de sua conversão à Cristo (Cf. João cap. 3 e II Co 5.17).


Uma igreja que abre as portas para o povo do mundo, mas coloca um aviso: "o pecador é bem-vindo; o pecado não!".


Uma igreja que tenha gente que leve a sério o que aprende, que pratique o que ouve ser pregado, que procure ser "luz do mundo" e "sal da terra", que manifeste as "virtudes daquele que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz".


Uma igreja de gente que não fume. Gente que não beba álcool. Gente que não use drogas. Gente que não fale palavrões. Gente que não seja escravizada pelo entretenimento, que não toma a forma do mundo, mas que renova dia a dia o seu entendimento pela Palavra da Verdade.


Uma igreja que não tenha receio de firmar posturas indigestas à maioria das outras igrejas, como exigir de seus membros uma vestimenta decente, um namoro moralmente aceitável, um casamento que possua "leito sem mácula", uma fraternidade construtiva, cidadãos cumpridores de seus compromissos, crentes honestos em suas transações.


Uma igreja que pregue o que vive e viva o que pregue.


Procura-se uma igreja que tenha amor não fingido.


Uma igreja que não faça acepção de pessoas. Que não faça uma entrada "só para automóveis", para evitar que crentes pobres ou sem condução congreguem ali.


Uma igreja que não coloque os crentes bem sucedidos nos bancos da frente, e reserve os últimos assentos para os pobres e os inexpressivos socialmente.


Uma igreja que não dê assistência apenas para os que têm polpudos salários, desprezando os que contribuem apenas com três míseras moedas de centavos.


Uma igreja que não trate seus membros pelo grau de instrução, dignificando o douto e desprezando o inculto; uma igreja que use de amor, misericórdia e atenção para com todos.


Uma igreja que não tenha duas leis, dois pesos e duas medidas, disciplinando severamente os que não fazem diferença no orçamento mensal, e encobrindo os adultérios, as desonestidades, as falcatruas, as maledicências e os muitos pecados dos mais ricos.


Uma igreja que não coloque um político no púlpito e uma pobre velhinha malcheirosa no canto, junto à porta de saída.


Procura-se uma igreja que tenha pastor. Mas não um pastor do tipo "profissional da área religiosa", mas "profissional da área celestial". De preferência um pastor que não tenha especialização em vendas, "tele-marketing", venda de consórcios ou carnês do baú.


Também não precisa ser especialista em análise de mercados e doutor em planos mirabolantes de crescimento de igreja.


Procura-se uma igreja cujo pastor esteja mais interessado em pastorear cada um como um filho, que contar cada um como um número.


Esse pastor poderia ser até de origem humilde, sem o grau de "latus census" ou "restritus census". Que tenha apenas "bom census" de levar a sério o seu chamado de "ganhador de almas, amigo do rebanho, pregador da Palavra, intercessor em oração pela sua comunidade, porta-voz da sã doutrina, líder respeitado, manso e cordato", porém, peremptório em suas afirmações.


Um pastor que tenha cara de pastor, coração de pastor, postura de pastor, vida de pastor.


Que use a bíblia, não o "manual de igrejas do sucesso" ou "plano de restauração do propósito do discipulado dos grupos da unção" , ou quaisquer outras inovações evangélicas que estejam em alta na BMIF - Bolsa de Mercadorias de Igrejas com Futuro.


Procura-se um pastor que esteja de joelhos diante do Pai, pois é a única forma de não cair; um pastor que sorria com os que sorriem, chore com os que choram, que visite o pobre, e também o rico; que ame o bonito, e acolha também o feio; que se importe com a dor de um idoso e com a alegria de um jovem.


Um pastor que diga a verdade, pela Bíblia, doa a quem doer, sem, contudo, jamais perder a ternura.


Um pastor que não busque a glória dos homens, mas a glória de Deus; que não esteja de olho nas recompensas terrenas, mas nas celestiais.


Um pastor que saiba ser homenageado, rendendo glórias a Deus, e saiba também resignar-se quando for esquecido. Um pastor segundo o coração de Deus.


Procura-se essa igreja.


Aos que souberem o seu paradeiro, favor ligarem para os crentes de bom senso, notificando o achado. Talvez não restem muitas dessas por aí.


E me avisem também, para que eu saiba para onde ir, se acaso precisar".


Pr. Wagner Antonio de Araújo

terça-feira, 19 de agosto de 2008

SEMENTES DE MILAGRE




Como filhos amados de um Deus Perfeito, Santo e Poderoso, devemos buscar sempre a excelência em tudo que temos. Essa busca pelo melhor é a única maneira de fugirmos da mediocridade, do pouco e da vergonha.



Deus não nos deu frutos excelentes prontos, mas sementes de excelência. Ele semeou em nós suas promessas e seu poder sobrenatural, além de pessoas, relacionamentos e toda provisão que já possuímos (ainda que pareça insuficiente).



Na cruz, o brado de “tudo está consumado” deixa-nos evidente que a parte dEle nas nossas conquistas, Ele já cumpriu.



Paulo escrevendo aos efésios reforça isso: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo” (Ef 1:3). Só nos resta cumprir a nossa parte, se é que queremos colher o melhor de Deus.



Se soubermos guardar essas sementes, semeando-as em boa terra, não deixando de regá-las, adubá-las e investindo sempre o melhor, certamente Ele é Fiel e Justo para nos trazer os melhores e mais abundantes frutos.



Primeiramente, essas sementes têm que encontrar em nossos corações uma terra fértil. Um coração crédulo é o solo apropriado para que elas germinem: É pela fé que liberamos a vida da semente, que possibilitamos sua germinação.



Mas, só isso não é suficiente.




É necessário também cuidados especiais e investimento diário na terra e na semente. Oração, jejum e muito trabalho são indispensáveis para que aquilo que parece tão pequeno ou desafiador se transforme em uma grande árvore frutífera. Isso vai requerer de cada um de nós, tempo, dedicação e um caminhar segundo a Palavra em todas as áreas que esperamos a colheita da bênção, quer seja pessoal, familiar, profissional ou ministerial;



Mas ainda não é tudo...



Não podemos nos esquecer de vigiar as sementes de dia e de noite, para que satanás não venha semear junto as suas ervas daninhas (desânimo, mentiras, medo, pecado, incredulidade, etc...) e prejudicar todo nosso investimento (Mt 13: 25). A guerra espiritual e um discernimento apurado é imprescindível para guardarmos a semente. Não podemos deixar que ninguém nos roube do melhor de Deus.




Deus sustentou o povo de Israel no deserto com o milagre, fazendo cair diariamente sobre a relva o maná.



Ao contrário do que muitos pensam, o maná não era um pão quentinho pronto para ser comido. A Bíblia diz que o maná “era como semente de coentro, e a aparência semelhante à de bdélio. Espalhava-se o povo, e colhia, e em moinhos o moia, ou num gral o pisava, e em panelas o cozia, e dele fazia bolos: o seu sabor era como bolos amassados com azeite. Quando de noite descia o orvalho sobre o arraial, sobre este também caía o maná.” (Nm 11:7 a 9).



Nesse tempo quem quisesse saborear o delicioso “pão do céu”, tinha indubitavelmente que pagar o preço de transformar as “sementes de coentro” em “pães de mel amassados com azeite”, transformar a semente do milagre em bênção experimental.



Há muita gente achando que com uma simples oração ou mesmo com um forte desejo de agradar ao Pai poderá viver no melhor de Deus e provar a excelência “do dia para noite”. Pura ilusão!



A excelência exige um processo.



O maná dos céus para nós vem em forma de uma semente; não deixa de ser um milagre, porém, a maioria dos milagres, das bênçãos e da excelência que desejamos viver, dependerá de um processo.



É preciso pegar todos os dias a semente liberada e investir nela. Isso requererá de nós muito trabalho, zelo e tempo. Pisar a “semente” no gral pode ser cansativo e doer um pouco; cozinhá-la em panelas pode levar um “tempinho”, e fazer bolos exigirá de nós dedicação, mas se formos fiéis saberemos o que é um delicioso bolo de mel.




Sua semente de excelência e milagre pode estar em um casamento infeliz, um ministério em crise, um emprego em risco, uma conta zerada, um filho rebelde ou qualquer outro desafio. Aparentemente algo seco e sem valor, porém, dentro dela está a promessa da vitória.



Vale a pena semeá-la na boa terra de um coração crédulo e esperar no Deus vivo e fiel que zela pela sua palavra para a cumprir e que não deixará cair por terra nenhuma de suas promessas.



Quem semeia, colhe. Quem investe, lucra. Quem espera, alcança.



A excelência virá pela fidelidade e perseverança, por isso nunca desista e jamais deixe de investir no pouco que você tem.



Não jogue fora hoje o melhor de Deus que ainda está por vir sobre sua vida.



segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Sobrevivente da tempestade 3


”Os outros teriam que salvar-se em tábuas ou em pedaços do navio. Dessa forma, todos chegaram a salvo em terra” – Atos 27:44 (Ler também Atos 28:6)

Há uma tempestade que não adianta você lançar Jonas no mar – a tempestade não passa; há tempestade na qual mesmo que você ande sobre as águas, sente que continua a afundar.

Quero falar a realidade de hoje, mesmo que você diga a tempestade: Acalma-te!, nada acontecerá.

É a tempestade que você só deve enfrentar.

Nada poderá evitá-la.

Nesta tempestade, poderão acontecer-lhe duas coisas.

Matá-lo. Você pode morrer na tempestade,

Ou empurrar você para frente, até alcançar o seu destino. Deus já preparou a vitória.

A escolha é sua: Morrer na tempestade ou sobreviver procurando nadar.

Vencer poderá custar-lhe muito caro. O preço pode ser de algumas lágrimas rolaram em sua face: pode ser, quem sabe, duro e muito sofrido, mas de uma coisa eu estou certa: Você haverá de sobreviver e verá com os seus próprios olhos que a tempestade haverá de passar.

Não acredite no diabo que diz que você é um perdedor, mas você haverá de sobreviver. Ao final ficará em pé (deserto do Saara) - e contemplará a vitória que Deus lhe tem dado.

Quero repartir com você acerca de sete coisas que o ajudará a sobreviver à tempestade:

1- Paulo tinha que ir para Roma e quando lá chegasse estaria em pé diante da maior autoridade reconhecida no mundo de então - CÉSAR.

Estava determinado por Deus que Paulo fosse a Roma.
Quando Deus determina a alguém que vá para algum lugar, Deus também se encarrega de levá-lo até lá.
Não há obstáculos que possam ser suficientemente altos que não possam ser transpostos; não há muralhas suficientemente forte que não venham a ruírem; não há fortalezas que não possam ser invadidas. Pois, operando Deus quem impedirá?

2- Verso 15. Quando viram que não mais podiam controlar o navio contra o vento, abaixaram as velas e deixaram a nau ir à toa. Tiraram a mão.

Pare de querer ficar no controle.Não queira que as coisas aconteçam do jeito que você quer, que você tenha a vitória como você planejou, deixe o Senhor tomar o controle.
Solta o cabo da nau, e deixe o vento do Espírito conduzi-lo para onde o Senhor tem planejado para você.

3- Verso 18. Quando você está na tempestade você não precisa de coisas extras.


A razão de alguns sentirem tão pesados é por que se sobrecarregam demais com suas preocupações, por exemplo. Desfaça-se das coisas que você não precisa e alivie a sua alma.
Quando você passa por uma tormenta, não precisa ater-se às suas memórias, aos seus velhos pensamentos. A única coisa com que você tem que se preocupar é reunir as forças que lhe serão suficientes para vencer.

4- Verso 22-25. Bem no meio da tempestade, Paulo levantou-se, e, na minha opinião começa a pregar. Levante-se também, e declare: Eu sei que vencerei mais esta. Você não precisa de coral, não precisa de ar condicionado, não precisa que o pastor imponha as mãos sobre você, não precisa de um fundo musical... Aplique a Palavra para você mesmo, seja edificado - não tenha pena de si mesmo, nem coloque a culpa nos outros.

Mude sua atitude. Mude o seu olhar iracundo e coloque um sorriso na sua face.

Saiba que esta tempestade não irá mata-lo e aquilo que não lhe mata o deixa mais forte.

Você sairá vencedor. Esta tempestade o fará mais maduro, pois antes da tempestade você não tinha um testemunho, mas agora você o tem experimentado face a face.

Você confiará em Deus ainda mais, e nas suas divinas habilidades. Tudo vai acontecer da forma como Deus falou.

A única pergunta que quero fazer-lhe é: O que Deus disse para você?


Nós não o adoramos somente quando estamos na Igreja. Nós o adoramos quando estamos na cozinha, diante do computador, no nosso trabalho. Quantos já ouviram Deus falar: Você sairá desta situação, nada de mal lhe haverá de ocorrer. Deixe de superficialidade com Deus, tome a sua oportunidade como única a fim de que você desenvolva um relacionamento de íntima comunhão com o Criador.

5- Ver. 29. Lançaram as ancora desejando que viesse o dia, raiasse a aurora.


Pois é exatamente isso que precisamos fazer. Tomarmos uma posição de não nos movermos.

Grite para si mesmo ou para seus companheiros:- Agora eu não vou me mover!


Em nossas tempestades muitas vezes precisamos tomar uma posição inarredável. Isso só é possível quando você conhece as promessas de Deus a seu respeito. Firme-se na palavra, e salve-se pela força do seu testemunho – lembre-se do que disse Jô: Ainda que ele me mate, eu creio nele!.


Enfrente a situação com o escudo da fé, cingido com o cinturão da verdade, e calçado os pés com a preparação do Evangelho da Paz.

6- Verso 31. Fiquem no navio. A única forma de você morrer é se você pular do navio.


Se você permanecer no navio há a possibilidade de você vencer, de você salvar-se.

Tome a sua chance, firme-se nas palavras que o Senhor tem dito a seu respeito, e corte os cabos do batel que o atrai a atirar-se no mar e deixe-o ir.

7- Versos 34. Paulo exorta-os para que comam, pois iriam precisar de forças e saúde para o fim da tempestade.

O pior sempre acontece no fim. No entanto, para alguns de nós estamos na situação de que as coisas não podem ficar piores do que já estão.

O verso 41 diz que eles chegaram a um lugar onde os dois oceanos se encontram. É o lugar onde ocorre o grande conflito das duas vontades: vontade de Deus e sua vontade.

O pior acontece, o navio desmancha-se pela força e fúria das ondas, e você enfrenta a seu último desafio: NADAR OU MORRER. Mesmo ferido você tem que lutar!

Não venha você agora me dizer, quando só falta um pouquinho para a sua tempestade passar que está cansado de lutar! Não! Levante-se do canto onde você está sentado e proclame a vitória sobre a sua vida! Invoque a benção do Senhor e lute contra as ondas, bata os braços e nade, nade, tome um fôlego, e nade mais ainda.

Leia o verso 44 novamente. Muitos conseguem sair da tempestade inteiros, mas outros, em pedaços, totalmente quebrados, quer em seus relacionamentos, nas suas amizades, no seu casamento, com lágrimas, muita dor e sofrimento, mas estão salvos.

Após sobreviverem à tormenta no mar, o frio assolava aquela região na época. Embora a tempestade ainda não tivesse passado, chegaram em terra, e o povo daquele lugar - ilha de Malta-, usando de não pouca humanidade, acenderam uma grande fogueira para que eles se aquecessem.

Sabe, todo aquele que escapa de uma tempestade, pensa que todos aqueles que estão o seu redor lhe deve alguma coisa.

Paulo, entretanto, buscou ajuntar uma quantidade de gravetos para ajudar a manter o fogo, e tendo-os lançado na fogueira, uma víbora, fugindo do calor, mordeu-lhe a mão.

Quantas vezes o inimigo nos faz pensar que tendo escapado de uma grande tormenta, o Senhor nos permitirá morrer na praia. O inimigo querendo empalidecer o brilho de Cristo e da esperança proclamada na vida de Paulo, coloca-lhe um veneno no seu sistema sanguíneo.

Atônitos, aquele povo tão hospitaleiro, vendo pendurada à víbora na mão de Paulo elaboraram juízo contra a sua vida. Paulo, sacudindo a víbora no fogo, não padeceu de mal algum.

Assim será também com você. Tudo o Senhor faz formoso ao seu tempo. É ele quem transforma o nosso deserto em jardim, a sequidão em manancial de águas vivas.

Ficaram então, esperando que Paulo inchasse e caísse morto, mas vendo que nenhum mal lhe acontecia...

Assim também será com você. Nenhuma arma forjada contra a sua vida prosperará.

domingo, 17 de agosto de 2008

Sobrevivente de Tempestades 2


”...mas, quando reparou no vento, ficou com medo e, começando a afundar, gritou: Senhor, salva-me!”” – Mateus 14:30

O texto do Evangelho de Mateus, capítulo 14:22-36, narra-nos acerca de outra tempestade. Jesus instrui seus discípulos para irem para o outro lado do mar enquanto despedia a multidão.


Quando o barco estava no meio do mar, o vento soprava contra ele, açoitando a embarcação.

No meio de uma tempestade, o vento é um grande problema: a sua força pode enfurecer o mar.

É interessante observar que não se pode ver o vento, não se pode toca-lo, não se sabe de onde vem e nem para onde vai, só se pode senti-lo. O vento é uma força invisível que pode enfurecer um oceano.

Quantos de nós já não fomos surpreendidos nos negócios, na nossa vida familiar, por forças invisíveis que combatem contra a nossa fé, procurando fazer-nos afogar em meio às provações?

Muitas das tempestades que ocorrem na nossa vida vêm de forças invisíveis. De repente, o relacionamento conjugal que ia tão bem, começa a ser fustigado, então surge a pergunta: De onde veio isso? O amigo de tantos anos subitamente começa tratá-lo com indiferença,... E você pergunta:- De onde vem isso...?

Verso 24: O Vento soprava contra o barco!

Mas, alta madrugada, Jesus aparece em meio à tormenta andando sobre as ondas do mar.

Os discípulos ficaram aterrorizados, entraram em pânico! Foram terríveis aqueles momentos de tensão, gritos de medo - eles pensaram terem visto um fantasma.

Jesus imediatamente falou com eles, para que reconhecessem a Sua voz, e os encorajou.

Pedro quando avistou Jesus andando sobre as águas disse: - Deixa-me ir ao seu encontro?

Jesus disse uma só Palavra: - Vem.

Pedro, neste momento tão dramático, desce do barco e começa a andar sobre as águas - em meio à tempestade, ele alcançou o seu milagre.

Deus é o mesmo de ontem, de hoje e será eternamente. Ele pode realizar o milagre que você espera bem no meio da tempestade. Ele te fortalecerá e te encorajará a vencer a própria força da natureza. Sobrepuje os ventos e surpreenda aos que falam de você; que sejam decepcionados os que profetizam o seu mal dizendo que desta tempestade, desta dificuldade você não haverá de escapar.

Reconheça a voz do Senhor em meio à tempestade, deposite a sua confiança Nele e ande sobre as ondas do mar. Ele próprio te encoraja e diz: “Seja forte e corajoso! Não se apavore, nem desanime, pois o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar” – Josué 1:9.


Palavra rhema para você hoje: Diz o Senhor: Eu sei os pensamentos que tenho a respeito de você, e eles são pensamento de bem e não mau. Caminhe com os pés calcados nesta verdade. Deus te abençoe e te dê a sua paz!


Pra. Sara Vanelli

sábado, 16 de agosto de 2008

Sobrevivente de Tempestades 1


"Ele se levantou, repreendeu o vento e disse ao mar: Aquiete-se! Acalme-se! O vento se aquietou, e fez-se completa bonança” – Marcos 4:39

Eu sou um sobrevivente da tempestade.

Se você nunca passou por uma tempestade, talvez esta palavra não provoque nenhum entusiasmo em você; não mexerá com você o tanto que deveria.

Mas se você já passou por uma...Huummm!!! Tem tudo a ver com você.

É muito importante que entendamos que, não importa quem somos, se pobres ou ricos, bem sucedidos ou infortunados, velhos ou jovens, a tempestade sempre fará parte do nosso andar com Deus.

Jesus deixou claro isso quando declarou que: No mundo tereis aflições...Todos nós, de uma forma ou de outra, temos que passar por alguma tempestade. Há muitas aflições para o justo, mas Deus nos livra de todas elas.

Tempestade no sentido natural acontece por causa de mudança da pressão atmosférica. Por conta desta mudança, relâmpagos e trovões iluminam e bombasticamente percorrem os céus.

Mas é muito importante lembrar o velho ditado: Após a tempestade, vem a bonança, a calmaria...Quando a tempestade se vai, a temperatura sempre baixa, tornando-se mais amena e agradável.

Saiba de uma coisa, amado leitor: a tempestade veio para provocar uma mudança radical no clima da tua vida e depois que ela passar, as coisas ficarão mais confortáveis, melhores.


Há vários tipos de tempestade pessoais e podemos verificar algumas na Palavra de Deus: A de Jonas, por exemplo.

Deus disse a ele que fosse para Nínive, mas Jonas desceu a Jope. Ele tomou um navio que ia para Tarsis, desobedecendo a Deus: foi em direção contrária à que Ele havia mandado.
O caminho da desobediência é sempre o caminho da descida. Desce um degrau, depois outro, depois outro e etc.
Olhe para Jonas: depois que decidiu desobedecer a Deus, primeiro desceu para a cidade de Jope e, tendo adquirido a sua passagem, desceu outra vez, agora para dentro do navio.

Quando o navio lançou-se ao mar, a tempestade veio para por Jonas no caminho que Deus havia mandado.
Sabem onde ele estava? Sabem onde os marinheiros após aliviarem o peso do navio o encontraram? Havia descido mais um degrau: estava no porão do navio.

A tempestade veio por causa de Jonas, embora os outros também a tenham sofrido.

Eles só a sofreram porque Jonas estava no barco. A tempestade não era para eles, mas para Jonas: Peguem-me e joguem-me no mar, e ele se acalmará. Pois eu sei que é por minha causa que esta violenta tempestade caiu sobre vocês - Jonas 1:12. Eles passaram por aquela tempestade porque Jonas estava no barco.

Há algumas tempestades que você está passando por ter algum Jonas com você. Desfaça-se das coisas que você não precisa e alivie a sua alma. Vasculhe o quartinho de bagunça dentro do seu coração, o porão de seu navio, veja o que está causando a tempestade em sua vida e alivie o seu barco! Você tem que se livrar do Jonas que está com você.

Atire o problema no mar e você estará fora da tempestade.
“Em seguida, pegaram Jonas e o lançaram ao mar enfurecido, e este se aquietou”. Jonas 1:15

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

TRIUNFO TOTAL


“Eis que temos por felizes os que perseveram firmes”- Tiago 5:11.


De um redemoinho, o Senhor falou a Jó.
Jó é um dos exemplos mais citados q respeito de paciência e de suportar as provações e as tribulações. Porém, o que muitas vezes esquecemos de mencionar é que Deus estava tratando com Jó, e, quando Deus trata com o homem, sua finalidade é leva-lo para um lugar seguro.


Deus age de uma maneira perfeita e correta.


Trata-se de um homem “íntegro e justo”, que possuía muitos bens e habitava numa das principais cidades da região de Uz. Por todo o livro de Jó podemos encontrar vestígios de um desafio: ele perdeu primeiro o seu gado; depois foi a vez de seus rebanhos serem consumidos pelo fogo, mas, não acaba por aí: seus filhos e filhas foram mortos.


Em seguida, foi a vez dele próprio sofrer as provações em sua pele: “...foi ferido de tumores malignos, desde a planta do é até o alto da cabeça” Jó 2:7.


Sua mulher o desafiava: “Ainda conservas a tua integridade? Amaldiçoa a Deus e morre”; seus amigos: Elifaz, Bildade e Zofar vieram para chorar com ele e consola-lo. Quando viram a Jó, a Bíblia narra que a princípio não o reconheceram, choraram muito, rasgaram suas vestes e assentaram-se ao lado dele por sete dias, sem ter palavras para consola-lo.

A partir do capítulo 16, encontramos as lamentações de Jó que são contestadas por Eliú que declara: Ao aflito livra por meio da sua aflição e pela opressão lhe abre os ouvidos.


Jó então se silencia, os outros personagens do livro se calam – Deus agora tem liberdade para falar, e, porque os ouvidos de Jó agora estavam abertos, ele ouve a voz de Deus, admite sua ignorância, confessa a sua presunção e se arrepende.


Qual foi o resultado?


Restituição em quádruplo de tudo o que ele perdeu – triunfo total – este foi o fim que o Senhor lhe deu (Tiago 5:11).


Sua mais importante declaração: “Eu te conhecia só de ouvir falar, mas agora os meus olhos te vêem”, é a declaração de alguém que experimenta a vida presença de Deus, de alguém que experimenta uma intensa intimidade com o Senhor, a ponto de encontra-Lo como Salvador, como amigo, como Pai, e acima de tudo, como Deus.


Logo, concluímos que não importa a quantidade de provação que temos, mas o que realmente importa é que alcancemos o alvo de Deus por meio delas.


Então, morreu Jó, velho e farto de dias, sem nunca ter amaldiçoado a Deus.

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

... E, caindo em si, desatou a chorar”


“E logo cantou o galo pela segunda vez. Então, Pedro se lembrou da palavra que Jesus lhe dissera: Antes que duas vezes cante o galo, tu Me negarás três vezes....

... E, caindo em si, desatou a chorar” _ Marcos 14:72

Gostamos de pensar que somos parecidos com Pedro; muitas vezes até nos julgamos melhores do que ele, pois ele foi tentado e caiu e no erro: negou a Jesus no momento em que o Mestre mais precisava de amigos ao Seu lado.


Porém, o que podemos perceber neste episódio envolvendo o discípulo, é que nessa sua queda ele nos deixou uma preciosa lição: ele errou, pois negou a Jesus, mas não foi insensível – lembrou-se das palavras do mestre e chorou amargamente, desesperadamente. Ele abriu o seu coração para o arrependimento genuíno e chorou, chorou, chorou... A um coração contrito e quebrantado, o Senhor não desprezará, diz a Palavra. Esse quebrantamento de Pedro trouxe cura ao seu coração, porque ele lembrou-se das palavras de Jesus. Pedro foi purificado, sarado e renovado.


É este o poder que tem a Palavra de Deus! Ela é imutável! A Palavra de Deus é instrumento de purificação, cura, perdão, renovação. Sendo ela imutável, ainda que venhamos a fracassar, o caminho é deixar-nos ser atraídos por essa Palavra, lembrarmo-nos Dela, do Seu poder de sarar, confessar as nossas culpas, arrependermo-nos, sermos perdoados.


O resultado?! Seremos sarados e o poder de Deus pode agir através de nossa vida....


E crescia mais e mais a multidão de crentes, tanto homens como mulheres, agregados ao Senhor, a ponto de levarem os enfermos até pelas ruas e os colocarem sobre leitos e macas, para que, ao passar Pedro,ao menos a sua sombra se projetasse nalguns deles – Atos 5:15-16.

terça-feira, 12 de agosto de 2008

EM TEMPO DE OLIMPÍADAS....

"Vocês não sabem que de todos os que correm no estádio, apenas um ganha o prêmio? Corram de tal modo que alcancem o prêmio. “ –
1 Coríntios 9:24

Estamos em tempo de olimpíadas e é oportuno sabermos que quando Paulo escreveu este texto, fez referência as competições atléticas que eram realizadas na Grécia e que eram denominados de jogos ístmicos. Todos os habitantes de CORINTO estavam familiarizados com essas competições, como também o estavam quase todos os demais habitantes do mundo grego-romano, na época do Apóstolo Paulo.
O “istmo”, era uma estreita faixa de terra, com o mar de ambos os lados... era a localidade, próxima a cidade de Corinto, onde eram realizados esses jogos atléticos. Ali eram efetuadas quatro grandes festividades nacionais. E essas celebrações eram ocasiões de notável regozijo e festa.
E quando o apóstolo PAULO escreveu as suas epístolas, tais jogos continuavam a ser levados a efeito em Corinto, bem como em outras grandes cidades do mundo de então, especialmente em cidades da Ásia Menor, como Éfeso.
Paulo era mestre em usar as ocasiões para apresentar o Evangelho do Reino e sua recompensa. Usando a oportunidade dos jogos, veja o que ele escreveu: ”Vocês não sabem que de todos os que correm no estádio, apenas um ganha o prêmio? Corram de tal modo que alcancem o prêmio. Todos os que competem nos jogos se submetem a um treinamento rigoroso, para obter uma coroa que perece; mas nós o fazemos para ganhar uma coroa que dura para sempre. Sendo assim, não corro como quem corre sem alvo...“ – 1 Coríntios 9:24-26
O verdadeiro cristão é um atleta que passa por um treinamento rigoroso para alcançar o podium. Há alguns cristãos que não se conscientizaram ainda dessa verdade e insistem em ser torcida. O pai precisa de atletas e não de torcedores.
Olha o que eu encontrei na internet:
Sou atleta ou torcida?
A TORCIDA espera pães e peixes, O ATLETA é um pescador.
A TORCIDA luta por crescer, O ATLETA luta por reproduzir-se.
A TORCIDA se ganha, O ATLETA se faz.
A TORCIDA gosta do afago, O ATLETA gosta do serviço e do sacrifício.
A TORCIDA entrega parte dos seus desejos, O ATLETA entrega a sua vida.
A TORCIDA espera que lhe apontem a tarefa, O ATLETA é solícito em tomar a responsabilidade.
A TORCIDA quase sempre murmura e reclama, O ATLETA obedece e nega a si mesmo.
A TORCIDA reclama que o visitem, O ATLETA visita.
A TORCIDA vale porque soma, O ATLETA vale porque multiplica.
A TORCIDA sonha com a Igreja ideal, O ATLETA se entrega para fazer a Igreja real.
A TORCIDA diz: Que bonito! O ATLETA diz: Eis-me aqui.
A TORCIDA espera por um avivamento na Igreja, O ATLETA é parte do avivamento.
A TORCIDA é forte soldado na trincheira de defesa, O ATLETA é soldado invasor da trincheira inimiga.
A TORCIDA é condicionada pelas circunstancias, O ATLETA as aproveita para exercitar sua fé.
A TORCIDA é valiosa, O ATLETA é indispensável!


Palavra rhema para você: O treinamento rigoroso é que faz a diferença entre o cristão atleta e o cristão torcedor – o Senhor quer te preparar para proclamar como Paulo: Combati o bom combate. Deus te abençoe e te dê a paz!
Pra. Sara Vanelli

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

NINGUÉM PODE DAR O QUE NUNCA RECEBEU


“Nós o amamos porque ele nos amou primeiro” – 1 João 4:19


Temos ouvido falar muito a respeito de amar, ultimamente.Para alguns, amar é natural, já se tornou um estilo de vida. Mas, para outros, amar é um grande sacrifício.


No evangelho de João, capítulo 7, verso 47, temos uma verdadeira lição de como amar de verdade: “Por isso te digo, perdoados lhes são os seus muitos pecados, porque ela muito amou; mas aquele a quem pouco se perdoa, pouco ama”.


Esta é a história da mulher pecadora que ungiu os pés de Jesus. Ninguém a havia convidado para comparecer àquela casa naquele momento. Ela era considerada uma mulher indigna. Quando Jesus permitiu que aquela mulher executasse a tarefa que ela própria se propôs fazer, os fariseus começaram a duvidar Dele: “Se este fora profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que lhe tocou, porque é pecadora – v. 39”.


Ela sabia a sua condição de pecadora, por isso ficou por detrás, para lavar os pés de Jesus. Muito provavelmente, ela conhecia a maioria dos fariseus que estavam naquela casa, pois era prostituta. E eles, a conheciam muito bem.


Encontramos uma pecadora arrependida, genuinamente arrependida, com seu coração prostrado diante do Rei dos reis. Os fariseus, não reconheciam a Jesus assim, mas ela, demonstrou todo o seu amor a Ele, porque sentiu os seus pecados perdoados. Ela deu a Jesus o melhor que tinha naquela hora: um vaso de alabastro.


Lavou os pés de Jesus com suas lágrimas e os enxugou com seus cabelos. Este ato de humilhação, arrependimento e amor, fez com que ela recebesse o perdão dos pecados e o melhor que um ser humano pode receber – a salvação.


Devemos olhar para nós mesmos: será que não temos tomado a atitude dos fariseus, muitas vezes condenando os que achamos que são pecadores? O segredo está em receber: nós o amamos porque ele nos amou primeiro.


Jesus não esperou você trocar a sua roupa, mudar os seus hábitos, mas Ele te amou do jeito que você era, simplesmente porque você é você.Você pode estar pensando: Mas, como eu vou me tornar uma pessoa que ama com facilidade?


1 – Aceite que você é um filho muito amado: Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados, e vivam em amor, como também Cristo nos amou...”- Efésios 5:12


2 – Aprenda a perdoar: lembre-se de como você foi perdoado. “Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus os perdoou em Cristo” – Efésios 4:32


3 – Pense nos outros em primeiro lugar – Jesus colocou você em primeiro lugar. “Embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se”- Filipenses 2:6


4 – Absorva a paciência de Deus para aplicar nos seus relacionamentos – Ele tem sido paciente para conosco. “O Senhor não demora em cumprir a sua promessa, como julgam alguns, ao contrário, Ele é paciente com vocês, não querendo que ninguém se perca, mas que todos cheguem ao arrependimento” – 2 Pedro 2:9.


5 – Seja generoso, pois Deus foi generoso com você. “Mas Deus demonstra seu amor por nós: Cristo morreu em nosso favor quando ainda éramos pecadores” – Romanos 5:8


6 – Suporte aqueles que são ingratos e maus – Deus te suporta quando você age desta maneira. “Porque Ele é bondoso para com os ingratos e maus” – Lucas 6:35


Talvez, enquanto você lê estes tópicos, esteja pensando como é difícil amar assim. E você tem razão, sem a ajuda de Deus não conseguiremos, ou iremos até um determinado ponto.


No texto de Lucas 7, encontramos o personagem Simão, aquele que abriu a porta para Jesus entrar na casa. Nós podemos até abrir a porta, como um gesto social: Por favor, entre, sente-se.


Porém, os relacionamentos têm que ser muito mais do que uma gentileza ou cavalheirismo. Deus está falando para você hoje, sobre cura dos seus relacionamentos. Talvez seja preciso lavar os pés de seu marido ou esposa. Quem sabe alguns de seus amigos não estão precisando que você derrame muitas lágrimas por eles? Nossos filhos precisam ser ungidos com o óleo do amor!


Mas, se não recebemos estas coisa, como vamos dá-las aos outros.Você quer amar como Jesus amou? Então comece hoje recebendo o amor de Deus para sua vida.


O segredo para amar é ser amado, e ninguém tem mais amor do que este: dar a vida por seus amigos.