terça-feira, 9 de agosto de 2011

ADORAÇÃO E A ÚLTIMA CHAMADA







"E cantavam um cântico novo, dizendo:Tu és digno de tomar o livro, e de abrir seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação." Apocalipse 5:9

Adoração é o tema no qual tenho trabalhado nos últimos vinte anos. Mais do que um tema, adoração me desafia a um estilo de vida que é próprio dos filhos de Deus, conforme João 4:23: Mas virá a hora, e de fato já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai no Espírito e em verdade: porque são esses os adoradores que o Pai procura”. Os princípios bíblicos que tenho aplicado a minha vida, têm gerado profundas experiências que me levam a querer conhecer mais sobre o assunto. Como fruto desta busca, quero compartilhar algumas descobertas preciosas feitas no livro do Apocalipse.

DUAS LINHAS: ADORAÇÃO E JUÍZO

Para entender um pouco melhor Apocalipse, é interessante notar duas situações que se repetem constantemente ao longo do livro. Uma delas refere-se a adoração, seja no céu seja na terra. A outra trata dos juízos divinos sobre a terra, os homens, etc. Por exemplo:

"Os vinte e quatro anciãos prostravam-se diante do que estava assentado sobre o trono, e adoravam o que vive para todo o sempre; e lançavam as suas coroas diante do trono, dizendo:

Digno és, Senhor, de receber glória, e honra, e poder; porque tu criaste todas as coisas, e por tua vontade são e foram criadas". Apocalipse 4:10-11

"E foram soltos os quatro anjos, que estavam preparados para a hora, e dia, e mês, e ano, a fim de matarem a terça parte dos homens". Apocalipse 9:15

A adoração é ministrada diante do trono, ora pelos quatro seres viventes e os vinte quatro anciãos, ora por um incontável exército de anjos, ora por homens de toda tribo, língua, povo e nação. O registro bíblico sugere-nos um momento único, jamais imaginado por qualquer um de nós, de extrema beleza e glória, quando toda criatura que há no céu, e na terra, debaixo da terra, e no mar oferecem estrondosa adoração àquele que está assentado no trono e ao Cordeiro Jesus!

Quase que paralelamente à adoração segue a linha dos juízos, culminando no capítulo vinte com o juízo final.

LEÃO: SÍMBOLO DE AUTORIDADE

"E eu chorava muito, porque ninguém fora achado digno de abrir o livro, nem de o ler, nem de olhar para ele. E disse-me um dos anciãos: Não chores: eis aqui o Leão da tribo de Judá, a Raiz de Davi, que venceu, para abrir o livro e desatar os seus sete selos."

Apocalipse 5:4-5

Tento me colocar no lugar do apóstolo João diante de tantas revelações e da grande responsabilidade de registrar tudo o que via e ouvia, sem descartar as fortes emoções que certamente o acompanhavam a cada instante. No caso do texto acima, nosso herói "chorava muito por não haver alguém digno de abrir o livro". Deve ter sido um momento de intensa frustração e desespero... Por fim, um dos anciãos consola João anunciando ao Senhor, simbolizado na figura de um leão - o Leão da tribo de Judá - representando governo e autoridade, que ao vencer todos os inimigos, tornou-se o único ser no universo digno de abrir o livro! Que maravilhoso deve ter sido para João o soar daquele anúncio... Talvez seria como voltar no tempo e contemplar o triunfo da cruz. Não podemos nos esquecer que este Senhor poderoso venceu a todos os inimigos na cruz, como "leão". Quanto mistério há na cruz... Pois nela Jesus venceu tanto como cordeiro, quanto como leão. Diante destes inimigos abaixo, sua postura foi a de um leão implacável:

ü o pecado

ü a carne

ü a velha natureza

ü a lei

ü o mundo

ü as doenças

ü o diabo

ü principado e potestades

ü outros mais

Após vencer na cruz, ao terceiro dia Jesus ressuscitou e ascendeu aos céus. E os portais eternos se abriram para a chegada do Rei da glória, o Senhor forte e poderoso na batalha que vive para sempre e tem toda autoridade no céu e na terra!

Pr. Adhemar de Campos

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

MINISTRAÇÃO NO CULTO - 1


I - O valor do culto
:

I Pedro 2:5: “E agora vocês também se tornaram pedras vivas para Deus utilizar na edificação da sua casa espiritual. Vocês são os seus sacerdotes santos, por isso ofereçam sacrifícios espirituais agradáveis a Deus, por meio de Jesus Cristo”.
Mateus 4:10b: “...adore somente o Senhor, o seu Deus. Sirva somente a Ele (preste culto somente a Ele)”.

Comumente, o culto inicia-se com a adoração. Por que? Prestar culto é reverenciar, homenagear. Lembre-se: Não saímos de casa aos domingos para uma reunião; saímos para um culto.

O texto de Mateus indica que o culto deve ser prestado a Deus, começando pela adoração. Assim, há dois momentos importantes no culto: a) momento de adoração – direcionado a Deus, e, b) momento da pregação da Palavra – direcionado ao homem.

O culto tem que ser um tempo de grande celebração ao Senhor. Os envolvidos precisam lembrar-se de que a finalidade da reunião é para celebrar o milagre da ressurreição de Jesus, da nova vida em Cristo, da comunhão no Espírito e das conquistas espirituais.

II - Preparação dos ministros

II Timóteo 2:15: “Procura apresentar-se aprovado diante de Deus, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade”.(Bíblia Viva: Seja um bom obreir, um obreiro que não precisa ficar envergonhado quando Deus examina o seu trabalho e que ensina corretamente a palavra da verdade).

a) Preparação no aspecto espiritual: Espiritualmente, o ministro de louvor se prepara através da oração e leitura bíblica diariamente.

A partir do mês de julho de 2011, para facilitar a leitura bíblia diária, serão disponibilizados neste blog, textos bíblicos diariamente. Aconselho que a leitura seja antes de vocês começarem as suas lidas diárias, e que seja acompanhada de oração.

Esta preparação diária é muito importante. O hábito da leitura da Bíblia seguida de oração, criará um diferencial amplamente visível em todas as áreas de sua vida, e, quando você vier para ensaiar ou tocar nos cultos, você será o canal que Deus usará para tocar seus filhos, manifestar seu poder e glória. Você será tremendamente abençoado!

O jejum semanal – lembrando que tem que haver um propósito para jejuar -, também será de grande valia para o aspecto espiritual.

Outra forma de preparação espiritual é a oração e compartilhamento entre o grupo.

b) Preparação no aspecto musical: no aspecto musical é preciso realizar ensaios para que haja entrosamento.

Todo ensaio deve ser iniciado com um texto bíblico e oração.

Todos nós sabemos quão precioso é nosso tempo. Estamos conscientes do valor que o tempo tem e como ele passa depressa. Para que ensaio seja produtivo é necessário:

1 – ter local e dia definidos – O local, em nosso caso, é a igreja, e o dia escolhido, é domingo às 16h30.

2 - ter uma lista definida de cânticos - quando forem novos, as cifras deverão ser providenciadas, bem como a letra que será disponibilizada para o povo.

3 - manter a ordem no ensaio – as distrações, brincadeiras e conversas paralelas que são verdadeiros "ladrões de unção".

4 – ter total concentração durante o ensaio - estar atento às orientações, arranjos, rítmica, métricas, etc;

Local e dia definidos, cânticos selecionados, ordem e concentração nos ensaios são extremamente importantes denotam compromisso e seriedade, lembrando que o tempo do ensaio deve ser também um tempo de ministração, isto quer dizer que no ensaio, Deus dará uma prévia para os ministros, do que fará no culto.